• Paulo Lídio

Legends of Tomorrow – 5ª Temporada | Crítica: Fugindo das demais, as Lendas são o que há de melhor n


Legends of Tomorrow – 5ª Temporada | Crítica: Fugindo das demais, as Lendas são o que há de melhor na CW (Foto: The CW / Divulgação)

Quem acompanha Legends of Tomorrow desde o seu início sabe que o seriado nem sempre foi as mil maravilhas que é hoje em dia. Entretanto, a série acabou passando por uma grande reformulação a partir de sua terceira temporada, incorporando um lado mais cartunesco, desapegando do padrão de jornada do herói que é utilizado pela CW em suas outras séries baseadas em quadrinhos. Apesar de arriscada, essa decisão provou-se acertada, trazendo um fôlego novo ao seriado, tornando Legends of Tomorrow não apenas um local para colocar heróis nível “B e C” da DC Comics, mas sim assumindo o posto de melhor série do “Arrowverse” no momento.

Um dos principais motivos de Legends of Tomorrow funcionar tão bem se dá pela quantidade de episódios. Diferentes de suas irmãs na CW, que possuem em média 23 episódios por temporada, as Lendas tiveram como recorde dezoito na terceira, sendo que na atual apenas quinze foram necessários para preencher o enredo deste ano. Esta fórmula acaba trazendo uma trama mais fluente, aliando o famigerado vilão da semana, porém sem deixar de lado o foco principal a ser resolvido. Só pelo fato de trabalhar com viagem no tempo, a série traz um peso importante para tudo que envolve o “Arrowverse”, todavia, o mega crossover ‘Crise nas Infinitas Terras’ acabou sendo de grande relevância, alterando diretamente na trama principal e trazendo novos personagens aos tripulantes da Waverider. Por isso, temos dois núcleos diferentes nesta temporada: pré-crise, onde nossos heróis precisam lidar com os vilões demônios históricos de Astra Logue (Olivia Swann); e com o eventos pós-crise, onde as inimigas são as Moiras do Destino, semideusas gregas que são irmãs de Charlie (Maisie Richardson-Sellers).

Isso por si só faz com que o espectador consiga digerir melhor tudo que lhe é apresentado em tela, porém sem deixar de lado suas demais tramas. Mick (Dominic Purcell) descobre que é pai e tenta compensar o tempo perdido com sua filha Lita (Mina Sundwall); Zari (Tala Ashe) é substituída por uma versão alternativa do multiverso e descobre que seu irmão Behrad (Shayan Sobian) está vivo; e por último, mas não menos importante, temos John Constantine (Matt Ryan) tentando acertar os erros do passado com Astra Logue (Olivia Swann). Apesar de parecer muito para se digerir e assistir, todas essas sub tramas trabalham de forma coesa, sempre nos deixando com um gostinho de quero mais, sabendo que algo maior ainda está por vir.

Em uma temporada cheia de reviravoltas, as Lendas permaneceram unidas, mas também tiveram que se despedir (Foto: The CW / Reprodução)

Em uma temporada cheia de reviravoltas, as Lendas permaneceram unidas, mas também tiveram que se despedir (Foto: The CW / Reprodução)

Se a ‘Crise nas Infinitas Terras’ trouxe aspectos positivos ao mundo de Legends of Tomorrow, ao mesmo tempo também tirou alguns pontos vitais. Nesta quinta temporada tivemos a despedida de Ray Palmer (Brandon Routh), um dos membros fundadores da equipe, que sai de forma repentina e sem uma despedida a altura. Sabemos que um dos fatores que faz o seriado funcionar tão bem é a rotatividade do elenco, todavia, o carisma e presença de tela do ator, que inclusive fez sua estreia neste universo através de Arrow, merecia um tratamento melhor por parte da produção. Aliás, os fãs devem ficar preparados, uma vez que temos mais duas despedidas confirmadas nesta temporada: Charlie (Maisie Richardson-Sellers) e Astra (Olivia Swann) não retornarão à sexta temporada, entretanto, ao contrário do Elektron, essas duas personagens sim tiveram um fechamento a altura do que as personagens demonstraram em tela.

Outra sábia decisão por parte da produção da série foi saber mais uma vez não se levar tão a sério. Nesta temporada, um conceito que se provou bastante inovador foi parodiar o próprio mundo dos seriados de sucesso americano. As referências aos grandes nomes da cultura pop mundial trazem um clima mais acalorado, nos fazendo caçar referências atrás de referências em casa episódio. Você que é fã de Supernatural, Star Trek, Friends, dentre outras produções famosas, sinta-se agraciado com o que verá nesta temporada. Entretanto, o grande segredo até aqui é entregar aquilo que os fãs querem e tanto gostam, uma série que não se leva tanto a sério, mas que quando precisa, sabe mudar o tom sem perder sua identidade, trabalhando bem mesmo com orçamento e efeitos limitados, pois sua trama consegue sobrepor os demais fatores.

O crossover de Legends of Tomorrow com Supernatural foi um dos pontos altos da quinta temporada (Foto: The CW / Divulgação)

O crossover de Legends of Tomorrow com Supernatural foi um dos pontos altos da quinta temporada (Foto: The CW / Divulgação) Com um final misterioso e cheio de despedidas, Legends of Tomorrow fez o que poucas séries de heróis da CW conseguem fazer: deixar os fãs ansiosos por uma nova temporada. Quando se trata de misticismo, viagens no tempo, piadas fora de hora e uma nave intertemporal, só podemos esperar que tudo dê errado e que no fim nossas Lendas consertem tudo. Por isso, a expectativa só cresce e o futuro do seriado só tende a ser ainda mais insano.

Nota: 5/5

 POSTS RECENTES