• Alexandre Agassi

Guia de Sobrevivência Nerd | Venom


Guia de Sobrevivência Nerd | Venom

O lançamento iminente do filme do icônico vilão do Cabeça de Teia, Venom, eleva as expectativas e a curiosidade dos fãs para o que há de vir. Por isso, neste texto, faremos um dossiê do personagem, perpassando pela sua história, momentos marcantes, suas habilidades e o que esperar do filme solo de Venom (2018).

Origem

Na década de 1980, a Marvel Comics promoveu uma campanha, pedindo para que os fãs enviassem cartas com ideias de histórias; e se a empresa considerasse boa, ela publicaria. Foi o que ocorreu com o caso do jovem Randy Schueller, que redigiu todo um enredo no qual Peter Parker vestia um uniforme preto, com teias orgânicas e teria sido inventada pelo Sr. Fantástico. Porém, a Marvel detestou a narrativa e apenas se ateve ao conceito de um uniforme preto e dessa maneira ela comprou o trabalho de Randy por uma mixaria de 250 dólares.

Primeira aparição do uniforme preto nos quadrinhos

A roupa foi então introduzida durante o clássico arco de Guerras Secretas (1984). Passado no Mundo de Batalhas criado pela entidade Beyonder, o enredo era que os maiores heróis confrontassem os maiores vilões apenas para a diversão do inventor de tudo isso. Após uma luta, o Homem-Aranha tem seu uniforme destruído e os super-heróis contam para ele que tinha uma máquina capaz de construir uma nova roupa. No entanto, o Cabeça de Teia erra o lugar e encontra um uniforme preto próprio para ele.

De volta a Terra após o fim da série, Peter decide continuar usando aquela roupa, dando início a Era do Uniforme Preto. Este período deverá corresponder entre as edições 252 a 300 da revista de Amazing Spider-Man durante os anos de 1984 a 1988. Todavia, chegou ao Brasil entre 1989 e 1992, a Abril publicou sob o título O Homem-Aranha e as edições variaram de 71 até a 105. Hoje, pode-se encontrar encadernados com a série completa, como a da editora Salvat, denominada O Nascimento de Venom.

O Nascimento de Venom

Primeira aparição de Venom em Amazing Spider-Man #299

A nova roupa trouxe um monte de vantagens para Parker. Tais como, as teias orgânicas. Outro ponto positivo foi que ele ficou mais forte, fora que o tecido alienígena era capaz de se regenerar caso fosse rasgado ou perfurado; e ainda conseguia transformar-se em roupas comuns para Peter, como uma blusa ou uma jaqueta. Por outro lado, muito da personalidade de Parker se modificou. Gradativamente, ele foi se transformando numa pessoa inconsequente e muito confiante de si. Desenvolveu também problemas de insônia, quase o tempo todo se sentia cansado e, sobretudo, a perca do sentido aranha representou que algo muito errado estava acontecendo.

Quando o super-herói se deu conta disso, ele foi conversar com o Dr. Reed Richards. No laboratório do Quarteto Fantástico, o cientista constatou que o uniforme preto era na verdade um ser vivo alienígena. Após alertar Peter do perigo deste simbionte que o consumia, o Homem-Aranha decide livrar-se daquela criatura ao sino de uma igreja, uma vez que ele já sabia graças ao Sr. Fantástico que a fraqueza dela era um ruído sonoro muito intenso.

Muito tempo depois, um jornalista fracassado chamado Eddie Brock, que alimentava um ódio pelo Homem-Aranha, culpando-o pela ruína de sua vida profissional, foi à igreja a procura de uma maneira de se matar. Entretanto, o simbionte sente sua raiva e se conecta a ele. Dessa forma, nasce Venom!

De Vilão a Anti-Herói

Foi na edição 300 que Venom aparece pela primeira vez. Escrita por David Michelinie e desenhada por Todd McFarlane, o gibi narra o primeiro combate entre o Homem-Aranha e Venom, trazendo à tona a verdadeira identidade do novo hospedeiro, Eddie Brock. O vilão ganhou tamanha notoriedade, que ficou por um bom tempo como um inimigo recorrente do Teioso. Nesse meio tempo, também nasceu o primeiro filho de Venom, Carnificina. Mais forte, ainda mais insano e com mais ódio, Carnificina é outro vilão clássico do Homem-Aranha.

Protetor Letal foi dividido em seis partes de uma história de redenção do inimigo do Homem-Aranha

Em 1993, foi lançada a minissérie Protetor Letal. Brock passa por uma jornada de redenção e se muda para San Francisco. Portando o simbionte, ambos decidem proteger a cidade. Vale ressaltar aqui que apesar de suas intenções serem boas, Venom se torna num anti-herói, pois ele continua despedaçando corpos. Na trama, Eddie deve combater um laboratório denominado Fundação Vida, que trabalha criando simbiontes a partir das células que adquiriram de Venom.

Venom se tornou um dos maiores vilões dos quadrinhos da Marvel, ganhando inclusive uma série mensal. Teve diversos filhos, mas nenhum se destacou tanto quanto Carnificina. E embora tenha ficado conhecido no corpo de Eddie Brock, o simbionte também já hospedou muitos outros personagens, os mais notórios foram o vilão Escorpião e Flash Thompson, ex-colega de escola de Peter Parker.

Outras Mídias

Considerado o mais fiel às HQs, a série animada do Homem-Aranha nos anos 90 não tinha como deixar de lado um vilão tão importante quanto Venom

Venom tornou-se tão importante que aparece em quase todos os games e animações já feitos. Dentre os desenhos, destaca-se a série animada dos anos 90 do Homem-Aranha (1994 – 1998), Homem-Aranha: Ação Sem Limites (1999 – 2001), Homem-Aranha: A Série (2003), O Espetacular Homem-Aranha (2008 – 2009) e Ultimate Homem-Aranha (2012 – 2017).

Já quanto aos jogos, temos clássicos como o Spider-Man & Venom: Separation Anxiety (1995), feito para Super Nintendo; o Homem-Aranha (2000) para o primeiro PlayStation, e o Ultimate Spider-Man (2005) para o PlayStation 2.

No cinema, Venom apareceu em Homem-Aranha 3 (2007), sendo que Eddie Brock foi estrelado por Topher Grace. Contudo, o filme não alcançou um sucesso como os anteriores. Criticado pela péssima interpretação de Grace e pelo seu físico magricela muito diferente ao do personagem nos quadrinhos.

Por que Venom é um vilão tão icônico?

É difícil apontar um único motivo para o sucesso do inimigo do Homem-Aranha. Isso porque foram diversos pontos que convergiram para o seu tamanho sucesso. Por isso, tentarei enumerar aqui os principais.

1. Quatro anos de planejamento: embora o personagem não estivesse nos planos iniciais, o enredo compreendido entre 1984 e 1988 foi muito bem lapidado, mesmo tendo passado pelas mãos de inúmeros desenhistas. E quando apareceu Venom pela primeira vez não era nada muito absurdo, porque há pelo menos um ano os quadrinhos apresentavam algo esquisito no uniforme preto de Guerras Secretas.

2. O sucesso do uniforme preto: o conceito do traje preto foi muito bem aceito. Tão aceito que duraram quatro anos! Tanto tempo que marcou a história do super-herói, lembrada até os dias atuais.

Um clássico dos quadrinhos,  o casamento do Teioso com a MJ é uma leitura imprescíndivel para os fãs do herói

3. Arcos importantes: aconteceu justamente nesta era que lançou dois arcos clássicos do Amigo da Vizinhança: A Última Caçada de Kraven (1987) e A Morte de Jean DeWolff (1985 – 1986). Tidos como duas das histórias mais sombrias do Homem-Aranha, o clima combinou muito com a época vivida pelo protagonista, que realmente passava por um período conturbado da vida pessoal.

4. O Casamento: para finalizar também foi nesta época que ocorreu um dos momentos mais importantes dos quadrinhos da Marvel. Entre as edições 290 e 292 de The Amazing Spider-Man, Mary Jane e Peter Parker se reaproximaram, reataram o antigo namoro e se casaram!

O que esperar do filme solo de Venom?

Já foi confirmado que o filme vai se basear em dois arcos do personagem – ambos da fase em que Venom era um anti-herói – estes são o já citado Perigo Letal e também O Planeta dos Simbiontes, em que Homem-Aranha e Venom unem forças para deter uma invasão de simbiontes na Terra.

Já foi confirmada a presença da Fundação Vida, que trabalha realizando experimentos obscuros com simbiontes alienígenas. Logo, já é de se imaginar que Eddie Brock, interpretado por Tom Hardy, deverá lidar com as primeiras interações com Venom para depois deter o instituto e as outras criações.

Imagem do trailer de Venom

O visual do personagem está muito próximo ao dos quadrinhos, assim como o clima aparenta ser bem soturno e violento ao estilo das HQs também. Por isso, ao que tudo indica e o que estamos torcendo é que esse filme seja tão bom e semelhante aos gibis quanto promete.

 POSTS RECENTES 

© 2021. Be Geeks. Todos os direitos reservados
 

E-mail: contato@begeeks.com.br

 

São Paulo - SP
 

  • Twitter
  • Instagram
  • Facebook