• Paulo Lídio

Shazam! | Crítica – A consagração da nova DC nos cinemas


Shazam! veio com tudo para mostrar as mudanças da DC nos cinemas. (Imagem: Warner Bros. / Divulgação)

O público foi surpreendido quando a Warner Bros. confirmou que produziria um filme do Shazam!, principalmente após os problemas ocorridos em Liga da Justiça (2017). De certa maneira desconhecido do grande público, o herói teria a missão de manter o trabalho do estúdio em reformular seu universo nos cinemas, algo que teve início com Mulher Maravilha (2017) e mais recentemente com Aquaman (2018). Todavia, como mostrar algo novo e surpreender com uma abordagem completamente nova da DC para o seu futuro? A resposta foi trazer algo simples e que trabalhasse com todos os públicos.

A trama é focada em Billy Batson (Asher Angel), um garoto de 14 anos órfão, problemático e recém adotado por uma nova família. Após receber os poderes do Mago Shazam (Djimon Hounsou) ao proferir seu nome, um acrônimo dos mitos gregos de Salomão (sabedoria), Hércules (força), Atlas (resistência), Zeus (magia), Aquiles (coragem) e Mercúrio (velocidade), o jovem se transforma num super-herói adulto com poderes tão fortes quanto os do Superman. Seu nome é Shazam (Zachary Levy)! Mesmo sendo algo simples, esta essência que torna o filme tão mágico, uma vez que nos traz uma identificação imediata: quem nunca sonhou em se tornar um herói da noite para o dia quando era uma criança?

Destaque em séries de comédia e já tendo participado de filmes de heróis, o ator Zachary Levy mostra que nasceu para o papel. Em Shazam!, temos um super-herói leve, que transparece a alegria de uma criança de 14 anos ao ganhar poderes, porém sem tirar a responsabilidade do que aquilo representa. Desde a sua caracterização ao relacionamento com os demais personagens, principalmente com sua contraparte juvenil, ele prova que nasceu para o papel do protagonista e nos deixa curioso para o seu futuro na DC. Será que teremos uma reunião do Shazam com a Liga da Justiça?

Freddy Freeman (Jack Dylan Grazer) e Billy Batson/Shazam! garantem juntos as melhores cenas do filme. (Imagem: Warner Bros. / Divulgação)

Para tornar essa trama ainda mais crível, o elenco de apoio é fantástico. Desde o início nos identificamos com Billy Batson e seu problema com sua família adotiva; dentre eles, sua convicção de que sua mãe não morreu. Isto posto, seus novos parentes demonstram estarem dispostos a dar a Billy um novo lar, em especial o seu irmão Freddy Freeman (Jack Dylan Grazer). Fanático por super-heróis, o garoto assume o papel de mentor de Shazam, gerando momentos divertidos de cumplicidade e amizade, além é claro de rechear o longa de referências ao universo DC nos cinemas. Menção honrosa aos demais irmãos, que para fim de evitar spoilers, aparecem pouco no filme, porém de certa maneira, roubam a cena com muita diversão.

Mesmo não sendo algo memorável no universo da DC nos cinemas, o vilão do filme cumpre seu papel através do Dr. Silvana (Mark Strong). Com mais uma atuação genial de Strong, especialista em filmes de heróis e oriundos dos quadrinhos, temos um vilão obcecado por magia, cujo seus poderes provêm por meio dos sete pecados capitais da mitologia, representados através de monstros. Sua ameaça é sentida em cada cena, visto que é o típico inimigo caricato dos quadrinhos: que, além de muito poderoso, deixa clara sua trama de vingança. Destaque também aos monstros, que mesmo sendo simples, impõe medo e respeito na história, dando muito trabalho ao protagonista.

Mark Strong garantiu mais uma boa performance em sua carreira, dessa vez na pele do Doutor Silvana. (Imagem: Warner Bros. / Divulgação)

O fato de ser um filme simples e que cumpre com louvor os seus objetivos, Shazam! sabe muito bem valorizar os seus quesitos técnicos. A trilha sonora do longa é envolvente, casando perfeitamente com as cenas, sem ser uma playlist do Spotify encaixada na hora certa. Destaque também para a fotografia e cenários, que trazem uma grande referência à cultura pop e ao universo da DC nos cinemas. E como não poderia ficar de fora, o filme presta também um grande tributo a sucessos dos anos 80 e 90, como ‘Esqueceram de Mim’, ‘Herói de Brinquedo’ e ‘Quero Ser Grande’.

Shazam! é um filme que valoriza e muito o conceito de família. Um longa leve, divertido, com boas cenas de ação e recheado de referências a cultura pop. Vale a pena assistir mais de uma vez, já que a sensação é de estar acompanhando um bom e velho filme na TV através da saudosa ‘Sessão da Tarde’. Se este é o novo rumo que a DC está tomando desde Mulher Maravilha e Aquaman, então que seja bem-vindo e continue com o alto nível.

Nota: 4,5 / 5

 POSTS RECENTES