• Paulo Lídio

Roteiristas de Vingadores: Guerra Infinita explicam o retorno do Caveira Vermelha


Vingadores: Guerra Infinita trouxe de volta o Caveira Vermelha, que havia aparecido pela última vez no primeiro filme do Capitão América. Os roteiristas tinham o desejo de trazer o herói de volta, o que acabou sendo concretizado no último filme dos heróis mais poderosos da Terra.

Cuidado! Abaixo com spoilers de Vingadores: Guerra Infinita

Com o vilão sendo banido para o espaço após o uso do Tesseract no primeiro filme do Capitão América, descobrimos que o Caveira Vermelha estava Vormir, local onde estava localizada a joia da alma, o que foi revelado em Vingadores: Guerra Infinita. Ele estava agindo como seu guardião, dizendo aos que desejavam controlá-la que eles precisavam sacrificar algo que amam, o que acabou levando Thanos a jogar Gamora de um penhasco. Como foi dito pelo roteirista Stephen McFelly em "Avengers: Infinity War Commentary Track", arquivo anexado ao download digital do filme, a aparição foi "um fetiche Chris Markus", que acabou sendo um bom fan service para os fãs de longa data do MCU.

"Cinematograficamente falando, ele é o primeiro a ficar obcecado com essas jóias do infinito no MCU e ele claramente não morreu no final de Primeiro Vingador", disse o roteirista Christopher Markus. "A ideia de onde ele poderia ter ido é tão tentadora e muito parecida com a capacidade de preencher papéis que estariam lá em qualquer lugar com William Hurt ou Benecio del Toro, ele se encaixa perfeitamente nesse momento."

Os esforços de Markus e McFeely com o Universo Cinematográfico da Marvel começaram com o Capitão América: O Primeiro Vingador e continuaram através de Capitão América: Soldado Invernal, Capitão América: Guerra Civil, Vingadores: Guerra Infinita e Vingadores 4. Eles têm sido parte da franquia desde a sua fase inicial, o que aumenta ainda mais a sua importância na história.

"O MCU é uma experiência única e o fato de estarmos lá para todas as fases é um privilégio, mas sabemos onde todos os corpos estão enterrados", disse McFeely. "Às vezes, você pode cavar um corpo e colocá-lo em uma cena."

Enquanto os fãs ficaram imaginando onde a joia da alma estava escondida até o lançamento de Vingadores: Guerra Infinita, sem uma única dica para indicar onde a mesma estava, o plano dos roteiristas era o mesmo desde o começo.

"Foi cedo", disse Chris durante o áudio, ressaltando que a equipe veio com a ideia sobre Vormir e um sacrifício para obter a joia, de acordo com McFeely. "Foi a única maneira que conseguimos. O primeiro rascunho foi que você teve que fazer uma troca como essa."

O momento sempre foi destinado a catapultar o filme com um golpe emocional em seu terceiro ato.

"Quando começamos a nos fixar neste filme, sendo a jornada de Thanos e o filme de Thanos, ele precisava de um momento sombrio", disse Markus. "O que é um momento sombrio para uma pessoa que se banha na escuridão o tempo todo? Está perdendo a única coisa que ele ama e nós não poderíamos deixar ser apenas acidental ou sem objetivo. Se nós vamos matar um personagem importante como Gamora, se nós vamos matar a filha de Thanos, tem que haver uma grande trama para isso e se encaixa bem com essa joia que falta."

Não houve saídas fáceis para a equipe neste maciço conjunto. "Uma saída fácil seria: 'Oh, nós perdemos Gamora. Isso é ruim para os Vingadores, o que é ruim para o público", disse McFeely. "Não é por isso que é o fim do segundo ato. É o fim do segundo ato porque é ruim para Thanos. É a pior coisa que pode acontecer para Thanos. É a única coisa entre Thanos para conseguir o que ele quer, então sempre queremos mostrar que este é o fim do segundo ato."

Em última análise, o diretor Joe Russo disse que a aparência de Zoe Saldana diz tudo quando o Caveira Vermelha informa a Gamora que Thanos não está derramando lágrimas por si mesmo. "Um dos momentos mais tristes do filme para mim é a reação de Gamora ao Caveira Vermelha", disse Joe Russo.

E você, gostou de Vingadores: Guerra Infinita? Deixe sua opinião abaixo!

 POSTS RECENTES