• Paulo Lídio

James Gunn assume responsabilidade e aceita a decisão da Disney


O diretor James Gunn foi demitido pela Disney após o resgate de tweets antigos em sua conta.

O diretor James Gunn disse que entende e aceita a decisão da Disney de demiti-lo do comando de Guardiões da Galáxia Vol. 3 depois de seus tweets antigos que ele fez anos atrás sobre estupro, pedofilia, entre outros temas polêmicos.

"Minhas palavras de quase uma década atrás foram, na época, totalmente fracassadas e infelizes esforços para ser provocativo", disse ele em um comunicado fornecido ao site TheWrap. “Eu me arrependi deles há muitos anos, não apenas porque eles eram idiotas, nada engraçados, loucamente insensíveis, e certamente não provocativos como eu esperava, mas também porque eles não refletem a pessoa que eu sou hoje ou fui por algum tempo", disse Gunn em um trecho do comunicado.

“Independentemente de quanto tempo passou, eu entendo e aceito as decisões de negócios tomadas hoje. Mesmo muitos anos depois, assumo total responsabilidade pela forma como me conduzi”, Gunn continuou. “Tudo o que posso fazer agora, além de oferecer meu arrependimento sincero, é ser o melhor ser humano que posso ser: aceitar, compreender, comprometer-me com a igualdade e ser muito mais cuidadoso com minhas declarações públicas e minhas obrigações para com o discurso público. Para todos dentro da minha indústria e além, eu ofereço novamente minhas mais profundas desculpas. Amor a todos", finalizou o diretor.

O cineasta emitiu um pedido de desculpas na noite de quinta-feira (19). No entanto, nesta tarde o presidente do Walt Disney Studios, Alan Horn, divulgou uma declaração dizendo: "As atitudes e declarações ofensivas descobertas no Twitter de James são indefensáveis ​​e inconsistentes com os valores de nosso estúdio, e nós rompemos nosso relacionamento comercial com ele". James Gunn havia completado recentemente um esboço do roteiro de Guardiões da Galáxia Vol.3, que estava programado para começar a ser filmado em janeiro, em Atlanta, com lançamento prevista para 2020.

E você, concorda com a decisão da Disney em demitir o diretor? Deixe seu comentário abaixo!

 POSTS RECENTES