• Felipe Savioli

Destiny 2 Forsaken | Crítica - O jogo está como os players queriam!

Há uma semana do lançamento da expansão Forsaken, Destiny 2 finalmente ficou muito parecido com o seu antecessor, considerado por muitos um jogo melhor que o atual. A nova DLC nos trouxe, além das novas armas e armaduras, dois mundos jogáveis, novas habilidades e um modo PVP + PVE, que explicarei mais a frente.

A história é bem simples: caçar um inimigo que está causando algum mal para a Vanguarda e para os guardiões. Porém, dessa vez, temos um gostinho de vingança no ar. Cayde-6, chefe dos caçadores, um dos líderes da Vanguarda e um dos personagens mais amados pelos jogadores, foi morto por Uldren Sov e seus barões desprezados, a nova raça de vilões que chegou com essa DLC. Ao presenciar a morte de seu amigo, o guardião tem a missão de matar o príncipe Uldren que, após o desaparecimento de sua irmã, a rainha dos Despertos Mara Sov, foi tomado pelas trevas e começou a ver e ouvir Mara. O guardião deve acompanhar Petra Venj, comissária e fiel escudeira da rainha na incursão de buscar o irmão de sua amiga, os barões, seus aliados nessa batalha e pôr um fim nesse mal.

História

Tudo começa com um chamado de Petra Venj à Cayde-6. A Prisão dos Anciões, um dos maiores e perigosos presídios do sistema solar, está com uma rebelião instalada e o guardião precisa ajudar o pistoleiro nesse trabalho.

Rebelião na Prisão dos Anciões.

Porém, após todos os prisioneiros voltarem para suas celas, Petra Venj resolve checar a área de segurança máxima da prisão e descobre que todos haviam fugido e estavam tentando escapar da Prisão dos Anciões. Cayde-6, em um ato heróico, resolve destruir a saída; no meio daquele caos, o hangar em que estava explode e acaba caindo pelo menos vinte andares. Consequentemente, descobre-se a área "escondida" da prisão, na qual vemos o encontro entre os barões e o caçador.

Nessa queda, Cayde-6 fica incomunicável e precisamos resgatá-lo antes que algo de pior aconteça. É nesse momento em que temos o primeiro contato com nossos novos vilões.

Prisão dos anciões com a nova raça de vilões (Desprezados).

Após derrotarmos várias hordas destes inimigos, encontramos Cayde-6 no chão, com um furo de bala no peito. Sem sua fantasma, escudeiro e quem dá vida a todos os guardiões, morta no meio da briga, não temos o que fazer a não ser vingar o nosso amigo.

Desprezados e Barões

A nova raça de inimigos trouxe novos desafios aos guardiões. Decaídos modificados geneticamente, capazes de causar um estrago a todos que estão em seu caminho. Assim como todos os inimigos em Destiny, temos uma sequência de vilões fracos, cujo o principal golpe é um ataque corpo a corpo, e forte, com armas poderosas.

Um dos nossos objetivos é caçar os barões que escaparam da Prisão dos Anciões. Ao todo são oito e a cada um que você elimina, mais perto você fica de completar a principal missão dessa expansão, que é encontrar Uldren Sov.

Novos Mundos

Costa Emaranhada e Cidade Onírica. Essas são as duas localizações adicionadas ao mundo de Destiny 2. A primeira é liberada logo após completarmos a primeira missão da nova história e é aonde passaremos boa parte da nossa nova campanha. Já a segunda, Cidade Onírica, é liberada através de uma jornada exótica, que obtemos apenas após completarmos toda a história principal. O maior mundo jogável da história de Destiny, a Cidade Onírica, é o lar do Poço Cego, o protocolo da expansão, e a nova incursão, ainda não divulgada.

Artimanha

Essa que é, sem dúvida, a maior inovação da nova expansão de Destiny 2. Já imaginou jogar contra vilões e guardiões ao mesmo tempo? Esse é o novo modo de jogo chamado Artimanha. Varias hordas de inimigos, dois times com 4 integrantes e invasão para atrapalhar e matar o outro time.

O objetivo é juntar setenta e cinco fagulhas, medalha que fica disponível matando os vilões (quanto mais forte o inimigo, mais fagulhas ele pode "dropar") para invocar o chefão do evento. Ganha a equipe que aniquilá-lo primeiro por duas vezes.

Imagem de um dos mapas do modo Artimanha, com o "chefão" e o invasor, em vermelho.

Forsaken é um visualmente lindo, uma história que, mesmo curta, tem um end game com muitas reviravoltas e, finalmente, os desenvolvedores da Bungie fizeram o jogo ficar parecido com o Destiny 1. Nem mesmo os bugs e a repetitividade, reclamados por muitos jogadores, estragam a magia que este jogo conseguiu trazer.

Nota - 4,5/5

 POSTS RECENTES