• Alexandre Agassi

A prática de fazer cosplay: do planejamento aos eventos

"É um negócio mágico, cara, você se transformar em um personagem que não só você gosta mas outras pessoas também gostam e elas ficam felizes de ver um personagem que gostam", diz Gabriel Valentino, cosplayer, que aos 19 anos já coleciona quase dez cosplays em seu guarda-roupas!

Fã de personagens de animes e jogos de videogame, Gabriel já se fantasiou de alguns heróis e vilões que gosta, como Kisame (de Naruto), Neo Cortex (de Crash Bandicoot), Tokoyomi (de Boku No Hero), mas seu favorito certamente é o herói dos games Crash Bandicoot.

Gabriel também conta um pouco sobre as dificuldades encontradas no meio do processo de fazer cosplay. Além do planejamento para encontrar uma nova fantasia, ainda deve se organizar para ir em outros eventos, que costumam ser, em média, um por semana. "Por ano eu normalmente vou em mais de 50 eventos", ressalta. "Para se fantasiar e maquiar é um tempo bastante variado. Alguns que exigem uma maquiagem mais detalhista acaba tomando mais tempo, levando aí cerca de 20 a 30 minutos."

Gabriel Valentino como Neo Cortex (Foto: Reprodução / Instagram @gvj.cosplay)

Seu primeiro cosplay foi do Tobi, vilão de Naruto Shippuden, e que logo de cara gostou bastante de fazer. Quando iniciou em 2016, Gabriel diz que era um pouco tímido fazendo cosplay e por conta do Tobi ser um personagem mascarado, isso contribuiu para que fosse "se soltando" aos poucos.

Atualmente, Gabriel sonha com um dia em que poderá fazer cosplay do Mecha Bandicoot, robô mecânico controlado por Crash no jogo Twinsanity para PlayStation 2. E também das Tartarugas Ninjas, na versão do filme dos anos 90.

"Já faço cosplay há 11 anos", é assim que Reinaldo Henrique abre a conversa. Já fez mais de 20 cosplays durante essa década que completou fantasiando-se e indo em eventos. Mas hoje procura ir em poucos, alguns grandes como a Brasil Game Show ou a Comic Con Experience, mas também acompanha outros eventos no interior de São Paulo.

Aos 30 anos, Reinaldo fala um pouco sobre como começou: "Meus amigos me empurraram pra fazer um com eles pra zoar, aí eu fui pegando gosto, pegando gosto e aí continuei." Seu primeiro foi o Kakashi, de Naruto, e depois que começou já fez vários, sendo o mais recente o Geralt de Rivia, do jogo The Witcher.

Reinaldo Henrique como Geralt de Rivia (Foto: Reprodução / Instagram @dante_rivia)

Seu planejamento já começa com quatro meses de antecedência para procurar os materiais e produtos necessários para "dar vida" ao personagem. Quanto aos dias que se prepara para visitar as feiras da comunidade geek, Reinaldo leva 20 minutos para se vestir e mais 20 para maquiagem, que é feita por outro pessoa, conforme conta.

Sua maior motivação hoje ainda é poder se encontrar com seus amigos e também pelo público que aborda ele para tirar fotos. "Virou um hobby hoje", comenta.

Ator e cosplayer, Osvaldo Alineri, 35 anos, revela que se fantasia desde 2015 e no momento já fez quatro cosplayer: Morte, Exterminador (vilão do Batman), Hannibal Lecter (de O Silêncio dos Inocentes) e seu mais atual que é o soldado especial da Umbrella Corporation.

Osvaldo conta que demora bastante para se planejar, como foi o caso de seu Exterminador, que levou dois anos para encontrar todos os materiais para construir sua armadura, e ainda pretende fazer mais melhorias.

E embora só começou em 2015 como profissional, ele explica que na verdade é cosplay desde criança: "Me vestia desde criança, me vestia de Batman [...] Me vestir, fazer personagem, a garotada pede pra tirar foto, isso eu acho incrível. É isso que me faz continuar".

Osvaldo Alineri como soldado especial da Umbrella Corporation (Foto: Reprodução / Instagram @alineriosvaldo)

Seu grande projeto seria poder fazer cosplay do Homem de Ferro, porém Osvaldo ainda "não se sente seguro para fazer". E a razão para isso seria a falta de verba para investir nesse tipo de material para produzir o traje.

Contudo, para ele, seu verdadeiro sonho é ainda ser reconhecido. "Eu não quero ser famoso, o melhor, eu não quero isso", explica. O que gostaria apenas era poder ser mais conhecido, porque, conforme aponta: "Querendo ou não isso ajuda a fazer a gente querer fazer mais, sabe. Isso ajuda bastante".

De forma semelhante, Carol Pizarro realiza cosplays de várias personagens. Dentre elas, da Ravena, Hera Venenosa, Tomb Raider, Alerquina, Hela e muitas outras. Ela diz que ama se fantasiar, ir em eventos, tirar fotos com o público e dá uma dica valiosa para quem quer virar cosplayer: "Tem que começar pelo que gosta e só se jogar de cabeça".

Carol Pizarro como Hela (Foto: Reprodução / Facebook Carol Pizarro)

 POSTS RECENTES